13 de abril de 2017

Mens Agitat Molen

Ai se eu ganhasse o Euromilhões... 

A frase dita num suspiro e deixada em suspenso enquanto se pensa em tudo o que se poderia fazer se aquele "se" se realizasse. Que repetição de "ses" usei nas duas frases anteriores. Que hei de fazer? A realidade é esta, um suspiro carregado de sonhos e de "ses", uma vida de hipóteses que só saberemos que se são possíveis quando se tornam reais.

O suspiro e a pergunta ficam no ar. O que fariam se ganhassem o Euromilhões?

Ai se eu ganhasse o Euromilhões, ou um "milhãozinho" que fosse....

A frase ficou no ar, mas o meu irmão depressa respondeu por mim. Compravas uma casa gigante e enchias-as de livros. 

Verdade!


Também comprava um lugar cativo na catedral, viajava a infindáveis locais, abria um negócio que fosse a minha cara (a pessoa não vai deixar de trabalhar e se puder dar empregos melhor) e equipava a minha casa de banho como um spa privado (tenho uma certa pancada por casas de banho, não me censurem, há um explicação para tal, mas fica comigo).

Fora todas as possibilidades de coisas a fazer se me tornasse milionária - que até acho que não seria extravagante, já que não sonho com ilhas ou jactos privados - a afirmação do meu irmão é a mais correcta de todas. Porque a primeira coisa que faria, seria investir em livros.

Note-se que usei a palavra investir, não para parecer pomposo e dar um certo ar de intelectual ao meu texto, mas sim porque livros são mesmo investimentos. Não se "gasta dinheiro" em livros. Investe-se dinheiro em livros, para nos presentearmos com qualidade de vida, novos mundos ao nosso mundo, razão à nossa existência, preencher o coração e recarregar a alma.

Mens Agitat Molen. O espírito move a matéria. Escreveu Virgílio na Odisseia, e citou Pessoa no início da Mensagem. E com muito ou pouco dinheiro, hei de sempre rodear-me de livros, pois são eles a minha riqueza.

Mens Agitat Molen e são os livros que alimentam o minha força interior para continuar a mover o meu corpo e enfrentar o mundo.

4 comentários: