4 de janeiro de 2017

Não vê mas sente

Hoje, 4 de janeiro, é dia mundial do braille. Braile é um sistema de escrita através de pontos em relevo utilizado pelos invisuais.  Apesar de, atualmente, a tecnologia já disponibilizar meios para que os invisuais possam ler e escrever num computador ou telemóvel o braille continua a ser uma importante forma de inclusão social, contudo nem sempre está disponível. E quando está disponível, será que damos por ele? Por vezes passa ao lado, é normal dava a rotina, mas este sistema de escrita está presente em alguns dos objetos usados diariamente, como em caixas de multibanco ou caixas de medicamentos.

Sítios importantes em que devia existir sempre indicações em braille são os pontos turísticos,
sejam museus, monumentos, parques. Digo isto porque, mais que senso comum, tive um colega invisual e na maioria das visitas de estudo enquanto existiam placas informativas sobre o que se estava a visitar, ele não tinha nenhum suporte. Contudo, tivemos uma visita de estudo ao Eco Parque Sensorial da Pia do Urso. O parque situa-se entre a Batalha e Fátima, no distrito de Leiria, e foi realizado a pensar nos invisuais. Por todo o parque pudemos encontrar construções que podiam ser percebidas e usufruídas pelas pessoas que não vêem sem, bem como quem não padece dessa deficiência. Em cada ponto a visitar existiam, também, placas informativas escritas normalmente e em braille.

A visita a este parque foi bastante interessante, e muito divertida, mas por motivos alheios à sua adaptação a invisuais que ficam guardados no canto dos disparetes que não se partilham, nada de muito sério se espera de uma visita de estudo do 12º ano. 

Fora as recordações da visita, há que salientar que este tipo de iniciativas é bastante importante para inclusão social, porque apesar das diferenças, todos têm o direito de aceder à cultura e a atividades várias. Porque uma pessoa pode não ver, mas não deixa de sentir.


Marisa

2 comentários: