4 de novembro de 2016

Desligar

É sexta-feira. O dia mais esperado da semana. Menos para quem trabalha ao sábado e domingo. Para além da faculdade, e porque o dinheiro não cresce nas árvores, vou trabalhar alguns fins-de-semana, ou pelo menos assim o espero. Começa amanhã mais uma rodada de promoções. Vai ser o dia todo, os dois dias do fim-de-semana e tenho quantro trabalhos para fazer para ontem. Três, porque um deixamos em stand by até organizar-mos os restantes. Há quem se choque de eu dizer que preferia fazer duas frequências por cadeira do que apenas uma e um trabalho, a verdade é que um trabalho implica uma série de obras e artigos, e mais umas tantas edições de jornais com quase oitenta anos.

É complicado. É muito complicado, e o ritmo de estudo e trabalho já anda a deambular por caminhos alheios aos meus há algum tempo. Este fim de semana ou fins de semanas de trabalho vão encurtar muito o tempo para me dedicar à faculdade e aos trabalhos, mas sem eles as coisas também ficam mais difíceis, já para não falar que me sinto mal por não trabalhar, preciso de o fazer por necessidade económica e por descargo de consciência, quero e gosto da minha "semi-autonomia" financeira e não quero sobrecarregar ninguém por um "capricho" meu. Ninguém disse que isto ia ser fácil, porém também nunca imaginei o quão difícil seria. Tudo se consegue. É preciso força, dedicação, ambição e acreditar. 

Bola para a frente, que o tempo está a contar. Mas agora é tempo de fechar os olhos, desligar-me, porque um dia de aulas aguento bem com sono, já um dia de trabalho é mais difícil...

Marisa 

2 comentários:

  1. R: São gostos :)

    Espero que ultrapasses esta fase e consigas juntar uns trocos e ter bons resultados :)
    É mesmo como dizes: tudo se consegue! Tu consegues :)

    ResponderEliminar