30 de agosto de 2016

17 em 17 anos

E acabou!
Perdi a conta às contas que se fizeram, para os anos que faltavam, para os anos que tinham passado, para os anos que iríamos ter... Perdi a conta às histórias que se contaram de como tinha sido há 17 anos, eu não me lembro de praticamente nada, na altura só tinha 5 e 6 anos. Perdi a conta às vezes que imaginámos como iria ser a próxima visita da imagem peregrina de Nossa Senhora da Nazaré à nossa paróquia. 

Não sou nada religiosa, não vou à missa, não rezo, não sei mais que três orações, e mesmo assim já me engasgo nas mesma, fiz a catequese até ao fim, até ao crisma, depois afastei-me da igreja, mas gosto destas coisas, da tradição, do que se vive nestas alturas, há uma intensidade diferente e uma aura mais positiva no ar.

Estes festejos ocorrem em 17 paróquias diferentes, dois anos em cada freguesia, o ano da chegada e o ano da partida. A imagem da nossa senhora da Nazaré regressa a cada paróquia de 17 em 17 anos. Recebemos a nossa senhora da Nazaré o ano passado. Despedimos-nos dela este ano. Foram 10 dias de festa em cada ano. 10 dias que passaram a correr em ambos os anos. 10 dias que o ano passado tiveram um sabor especial porque foi o regresso, porque mal me lembrava da única festa destas que tinha vivido, porque, 16 anos depois, recebemos, na mesma festa, a banda que todos queríamos, a melhor de há 17 anos, a que todos diziam que "têm que os trazer cá outra vez", os Xutos & Pontapés. A deste ano foi especial porque foi o ano da despedida, porque o vivi mais intensamente, porque participei, mesmo que pouco, porque contribuí, também mesmo que pouco, foi o máximo que consegui, porque disse eu vou todos os dias e vou aproveitar isto porque não sei como vai ser daqui a 17 anos, nem tanto se estou cá, quem cá está, porque a vida dá muitas voltas e eu quero aproveitar a minha terra e agora, "o" agora". E assim o fiz. Não fui todos os dias, falhei um. Vi concertos que nunca pensei em assistir, ajudei um dia na quermesse, coisa que nunca pensei fazer, vibrei, gritei, aplaudi, fotografei, filmei, emocionei-me, não chorei. Escrevi, para não chorar. Não foi tudo como planeado, mas nada é perfeito, e esta festa também fica marcada por um triste e infortúnio - vamos acreditar que foi melhor assim. 

A festa acabou no domingo. Senti-me nostálgica. Principalmente no final do fogo de artifício, aquele momento em que acaba mesmo, em que as pessoas começam a dispersar-se, em que se olha uma última vez para os palcos, para os bares, para as bancadas, para o arraial, para o céu. Agora esperamos por ela até 2032. Faltam 16 anos. Até lá voltaremos a fazer contas ao tempo que passou, ao que falta passar, aos anos que vamos ter. Voltaremos a contar histórias, desta festa e das que já vivemos e a imaginar a próxima festa da nossa senhora da Nazaré... 

Até 2032

Marisa

Uncolored run

Nunca participei numa corrida colorida. Pagar para correr e sujar-me não cabe bem nas coisas lógicas da vida. Como não sou muito lógica, quando me convidaram para atirar cores e água numa water and color run, não hexitei em aceitar, verifiquei que não ia trabalhar neste dia e aceitei o convite. Molhar e sujar pessoas parecia ser giro... E não tinha que pagar ;)

A corrida foi no sábado. Éramos quatro pessoas perto de um cruzamento para atirar tinta aos participantes da corrida, dos quatro, dois tínhamos que ir controlar o trânsito e, como é óbvio, ninguém estava muito motivado para isso, então resolvemos ir à vez para ninguém. Eu comecei a atirar tinta... muito giro se a tinta não fosse pó e eu não tivesse feito alergia ao mesmo e ficado com os olhos a arder e sem consegui-los manter muito abertos... Rapidamente tive que trocar com um dos que estavam no cruzamento a controlar o trânsito e ficar ali o resto da corrida.

Corrida terminada e toda a gente se junta para mandar mais água e mais tinta para uns para outros... eu tenho que me manter afastada para não levar com mais um grãozinho de pó para não ficar pior do que já estava... Apenas pedi a uma amiga para esfregar as suas mãos sujas de tinta na camisola para não ficar completamente branquinha e terminei uma water and color run praticamente limpinha. Se isto podia acontecer a alguém só podia ser a mim...

Marisa

26 de agosto de 2016

Tem troco de 10?!

Fui deixada à espera no carro com a indicação de que se vir a polícia ir pôr a moeda no parquímetro... Eu não tenho moedas!!!


Marisa

25 de agosto de 2016

Forças divinas

A pessoa está cansada, cheia de dores nas costas, quase a dormir no sofá, sem vontade nenhuma, nas depois lembra-se que está festa só repete daqui a 17 anos - e 17 ajuda é tanto tempo, e nem sei se estarei cá ou poderei vir - que ganha forças vá-se lá saber de onde. Talvez seja mesmo divina, talvez seja mesmo o são Pedro ou senhora da Nazaré, sei lá. Talvez seja a incerteza do futuro. Carpe diem e só não prometo palmas e saltos, Carolina. Vamo lá

Marisa

23 de agosto de 2016

Dream about

O passado cruza-se connosco a cada dia do presente. Às vezes sorri-nos, outras faz-nos má cara e outras nem nos reconhece. É assim a vida, é assim o tempo. O passado estará sempre presente, seja em que tempo for, mas, por mais que ele apareça, por mais que ele se faça notar, por mais que o gostemos de recordar, por mais que o queiramos mudar, nunca nos devemos esquecer que não é ao passado que pertencemos, que é o presente que temos que aproveitar, e que o futuro será o nosso lugar.

Marisa

20 de agosto de 2016

Resistência

Passavam uns minutos das oito da noite quando saí da loja, a loja fica a um minuto de minha casa, mas chovia de tal forma que nem uma corrida a toda a velocidade, velocidade e força que não sei onde fui buscar àquela hora, me livraram de ficar toda molhada. Estava exausta, cheia de alergias e doía-me a cabeça, ultimamente tenho passado muito tempo com dores de cabeça e alergias e não estou a gostar nada disso. O tempo estava frustrante, alegrou-me o facto de ter à minha espera o livro que tinha comprado na wook há uns dias, A Mensageira, de Daniel Silva. Mas a chuva não parava e eu tinha o concerto dos Resistência para ver...

A J ligou-te há bocado... disse-me a minha mãe.

A J ligou-me é por causa do concerto!!

Era um dos concertos que, assim que soubemos que ia existir, dissemos vamos e vamos! sítio do costume. O sítio do costume era em frente ao palco, onde vimos dois, apenas dois, concertos o ano passado, mas tem histórias, tem risos, tem gritos, tem fotos, é nosso e acabou-se, porque nós queremos, porque nós podemos, porque nós gostamos de dizer isso, porque private jokes são sempre bem-vindas, porque somos primas e ninguém nos pode tirar a nossa cumplicidade.

Era um dos concertos que mais queríamos assistir e estava um tempo desgraçado. Ligo para a minha prima...

Levamos uma capa!
J a prática,
Só não nos podemos sentar para guardar lugar, mas vamos para o sítio do costume na mesma!.

Tem primos doidos e tens tudo na vida.

Vamos que vamos.

Eu também tenho uma capa!
Mãe tenho uma capa, não tenho?...
Tens...
Ouviste J, tenho uma capa!.

Doidas tão doidas.

Desligamos e tenho uma mensagem dela no facebook

Vamos ser resistentes e ver os Resistência

Ahahahahah. Não vou contar o resto da conversa, não quero correr o risco de nos mandarem internar num hospício.

Parou de chover. Fomos. Íamos de qualquer maneira, para o Carnaval também se vai com chuva e vento e frio e mais chuva e mais chuva, não era uma chuva de Agosto que nos ía assustar. Somos do Oeste conseguimos tudo e o tempo não nos assusta, só chateia e mete nojo.

Pelo caminho, no carro com o meu pai e irmão, a M80 estava ligada, timmig perfeito, e passava nada mais nada menos que resitência... só podia ser um bom presságio. E foi! Não houve chuva, não havia vento, não estava frio. o chão estava tapado com lona e esta não estava molhada por isso pudemos-nos sentar enquanto o concerto não começava.

O concerto foi espectacular. Dos melhores de sempre. O Miguel Ângelo e o Olavo Bilac foram umas bailarinas exímias =) Os Resistência dera, um grande concerto, cantaram aquelas músicas que, de uma maneira ou de outra, fazem parte da vida de todos, a nível pessoal, algumas que eu adoro desde sempre. Foi a terceira vez que o Miguel Ângelo esteve cá, segundo ele... eu não me lembro de nenhuma. Foi também a terceira vez que o Tim esteve cá, isso eu sei bem. A primeira a 17 anos, não me lembro dessa altura, mas sempre soube que os Xutos tinham atuado cá na última festa da nossa senhora da Nazaré da paróquia. A segunda foi o ano passado, dessa nunca mais me irei esquecer, um sonho vivido intensamente, os Xutos e Pontapés novamente na mesma festa, 17 anos depois. A terceira ontem... e foi tão bom, tão poderoso, tão perfeito. Tirando a parte de eu não ter conseguido gravar "A noite", problemas técnicos que perdem importância perante um concerto de topo e músicos de topo.

Fomos resistentes e fomos ver os Resistência. Nós e tantos outros, que o recinto estava cheio. A minha alma também estava cheia. Confesso que me emocionei aquando cantaram o "Circo de feras". Uma das minhas músicas preferidas, Tim na voz principal, pela segunda vez em menos de um ano, na minha freguesia/paróquia.


Marisa

Ps. Na página de facebook do Miguel Ângelo há um video que ele e o Olavo Bilac fizeram em direto do concerto, vão lá dar uma espreitadela que vale a pena sentir aquela energia  Aqui



My lovely blog

Sei que adoro o blog e ando cheia de vontade de me perder umas boas horas aqui a escrever, quando, no meio de uma imensidão de coisas que tenho que fazer, ligo o computador só e apenas para responder a um email urgente e importante e, quando dou por mim, não foi o hotmail que abri, mas sim o blogger...

Marisa

19 de agosto de 2016

Dream about

Onde estarei eu daqui a um mês?
Como será a minha vida daqui a um mês?
Será que as coisas vão mudar?
O que irá mudar?
Como irá mudar?
O que irá ficar?
Quem irá ficar?
Quem irá chegar?
Onde irei ficar?
Por onde irei andar?

Interrogações,
Dúvidas,
Anseios,
Receios,
Expectativas,
Vontade,
Esperança,
Mudança,
Força,
Sonhos,
Vida.


Marisa



Corzinha de Verão


E eu andei o ano inteiro, a juntar o meu dinheiro
Para esta desilusão
Dava todo o meu ouro por um pouco do teu bronze
Uma corzinha de verão

Vento, eu na praia a levar com vento
A rogar pragas e a culpar são Pedro
Que mal fiz eu ao céu?
E tento, juro que tento imaginar bom tempo
Espalho o protetor solar e estendo o corpo no museu

Esta semana tive sorte. Apanhei bons dias de praia e acho que fiquei um niquinho de bronzeada, apenas um niquinho, que eu nunca soube o que era ter uma corzinha de verão. Posso passar o verão inteiro na praia, eu passo o ano inteiro na praia, que vivo à beira-mar, mas nunca fico com uma corzinha de verão, sou sempre branquinha, apenas da para disfarçar um bocadinho a palidez. Hoje está um daqueles dias de levar com vento, rogar pragas e culpar são Pedro e perguntar que mal fiz eu ao céu. Não sabe tão mal porque vou trabalhar à tarde. Espero que não tenha que culpar são Pedro, porque hoje é dia de ir a São Pedro por causa da nossa senhora da Nazaré. O primeiro dia de 10 dias de festa, que esperemos que seja abençoada mas não molhada, porque tem que ser tudo pelo melhor, visto que para o ano não há mais, nem para o outro, nem para o outro, só daqui a 17 anos.

Com ou sem corzinha de verão, que há noite não importa já que estamos no oeste e eu sempre de camisola porque as noites cá são frias, lá vou eu, lá vamos nós sem medos de levar com o vento nem com chuva, talvez da chuva tenhamos um bocadinho de "medo", mas mesmo assim vamos todos, uma freguesia, os arredores e os arredores dos arredores, que o cartaz é muito bom e vai começar em grande com os Resistência. Tim duas vezes em menos de um ano nas mesmas festas!

Prima J, é no sítio do costume, a cantar, a gritar, aplaudir e a saltar!!!

E que comece a festa e são Pedro fique bem disposto! Chuva, agora que o verão tinha começado a sério, não dá mesmo.

Marisa

Mini filme de terror

Chego a casa depois de uma caminhada noturna... Está tudo tranquilo. Vou à cozinha, à sala, passo novamente pelo hall de entrada e tudo silencioso. Começo a subir as escadas e ouço um ruído! À medida que vou avançado, o ruído está mais intenso... O meu irmão está a dormir, as luzes apagadas, a televisão desligada. O ruído continuava, parecia vento, não estava vento na rua e também não tinha janelas abertas. Chego à porta da casa de banho e percebo que era o ventilador que tinha ficado ligado...

Marisa

18 de agosto de 2016

Dream about

 Como é que é possível sentir-me tem tão menininha tão insegura e uma mulher tão determinada ao mesmo tempo? Talvez por esta determinação ser mais enfática agora, por não me lembrar da última vez que me senti tão forte e tão determinada em relação ao que quer que seja e por estar entre o ansiosa e o expectante que faz salientar a menina insegura.

Everything will be fine

Marisa

17 de agosto de 2016

Dormir "cedo"

Queria ir dormir cedo, mesmo cedo, ser dez horas e já estar a dormir... Pois está claro. Uma mensagem aqui, um vídeo ali, uma divagação com o puto acolá e mais umas quantas sozinha, entretanto blog entre isto é aquilo... E já são quase onze e meia e ainda nem me deitei. É sempre a mesma coisa. O que vale é que o meu sistema desperta a antes das nove seja dia de trabalho ou não é que mesmo me levantando às oito e meia tenho tempo, que o trabalho é à porta de casa.

Ai quando isto mudar vai custar tanto...

Marisa

Conta-te Poesia


Abrir asas e voar
Ser livre com noção
que algumas quedas existirão
Antes do infinito alcançar

De certo que valerá a pena,
O esforço não será em vão,
Lá de cima a vista será linda

O lindo torna-se banal
Se não estiver ao nosso lado
Alguém especial,
Alguém para o partilhar

Tudo fica sem sentido
Se não for bem partilhado...
...Queres voar comigo?


Marisa

13 de agosto de 2016

Se se se se

Ses. Muitos ses. A minha cabeça e minha vida estão cheia de ses. Não sei se as coisas, se fica tudo igual, se irei por este caminho ou se irei por aquele, ou se seguirei por outro qualquer, se vai correr tudo bem, se vai correr tudo mal, se vou conseguir, se vou ter que desistir, se isto e se aquilo. Muitos ses. Quase só ses. Estou entre tantas interrogações, tenho tanto para fazer, não sei por onde começar, tenho tanta coisa pendente. Tenho tão pouco tempo, que parece tanto tempo, porque o tempo passa depressa quando precisamos dele e arrasta-se tanto quando temos pressa.

Se se se se... e que venham os ses, e que eu tenha calma e força para lidar com todos estes ses, e que corra tudo bem e os ses virem certezas boas rapidamente.

Marisa

Os meus pais não mereciam isto!

É agora, que a minha irmã começou a ver os Morangos com Açúcar que estão a dar repetidos no Panda Bigs, que eu dou valor ao que os meus pais sofreram comigo a ver Morangos todos os dias. Eu vi Morangos todos os dias durante quase 10 anos, e durante quase 10 anos eu falava naquilo e à hora de Morangos, não se podia ver mais nada... Assim está a minha Princesa, que aos 6 anos descobriu a terceira série de verão dos Morangos e ficou viciada naquilo. Eu adorava os Morangos, eu vi desde o primeiro ao último episódio, eu lembro-me dos nomes de muitos dos personagens, principalmente até à terceira série. Aquilo era a loucura, o melhor do mundo, e tudo e tudo. Agora, ao rever, graças à Princesa, o que eu via há 10 anos atrás, - lembro-me bem que a série 3 era de 2006 porque foi da minha fase mais morangomaníaca e dzrtomaníaca - é como se me espetassem uma faca no coração. A faca é nada mais nada menos do que a noção de que, pelo menos agora, aquilo já não é assim tão bom, eles não eram assim tão bons actores, a história era sempre a mesma coisa uma e outra vez - isto eu já tinha percebido, mas vem salientar mais.

Enfim, perdeu a magia que tinha quando era apenas uma pré-adolescente com 12/13 anos. Há o "não voltes aos lugares onde foste feliz", e agora eu crio o "não voltes às séries infato-juvenis que te fizeram feliz".


Marisa

9 de agosto de 2016

10 de 10

Acabou ontem a minha maratona de 10 dias seguidos de trabalho. Posso fazer um balanço positivo, apesar de algumas quebras e imprevistos emocionais correu tudo bem. E valeu ainda mais a pena perante a alegria dos que foram (e que pé isso tive que trabalhar tempo extra)  e porque tudo também correu tudo bem com eles.

Agora podia dizer que posso descansar, mas não. Não porque a minha tarde de ontem já foi uma correria e porque tomei a opção de não descansar a longo prazo. Espero conseguir cumprir...

Marisa

8 de agosto de 2016

"Vamos voltar a uns tempos atrás..."

"Nublado
Este sim era o meu estado
Fatigado
Depois de um dia de trabajo"

E depois há um momento em que se tem que ser forte como tudo, esquecer os medos, pegar o boi pelos cornos e lutar pelo meu futuro e pelos meus sonhos, mas pelo meio dou por mim a ouvir D'ZRT porque ter 13/15 anos agora dava tanto jeito porque naquela altura tudo era mais fácil, menos preocupante e com menos ses e incertezas...

Marisa


7 de agosto de 2016

Don't pray for us!

Poderá ser um facto aparentemente irrelevante, mas isto está a chatear-me. E muito! Já não posso ver os anúncios do festival Vodafone Paredes de Coura. Nem sequer tenho visto muita televisão, muito pelo contrário, vejo cada menos, mas cada vez que estou em frente à televisão tenho que ver três vezes seguidas o anúncio do Paredes de Coura. Isto chateia, chega a enervar, mesmo. Primeiro porque é um festival que me suscita interesse, mas eu não tenho dinheiro para tal, em segundo, e mais importante, porque, este ano, vão lá os Portugal the man. Os Portugal de Man, vêm a Portugal e eu não os poderei ir ver! Escândalo! Catástrofe! Tão mau quando não consegui ver os GreenDay no Alive. Pior do que não ter conseguido ver o Brian Adams no Meo Arena, o Bruce Springsteen no Rock in Rio ou Rod Stewart também no Meo Arena.

Eu quero ir ver os Portugal the Man!!!!!! E a culpa é daquele ser que um dia me mandou o link de uma música deles só porque sim e me fez apaixonar pela banda... Se não conhecerem oiçam, que isto é do melhor que há, pessoas, do melhor que há. E eu não os vou ver, mas vou continuar a levar com o anúncio do Paredes de Coura em tudo o que é sítio...



Marisa

6 de agosto de 2016

8 de 10

Quero os meus primos e duas bolas de gelado, morango e oreo, de preferência. Quero uma piada do R e a boa vibe da presença da MI. Quero uma bola de cristal me preparar para o futuro e acabar com a incerteza. Quero abrandar o ritmo. Ao terceiro dia com colega de trabalho isto está a complicar... Não é a pessoa, que a rapariga é excelente, mas aquele ritmo mais acelerado que o TGV dá-me cabo dos nervos. Não estou habituada a conciliar o meu ritmo com o de outras pessoas, raramente tenho colegas de trabalho, raramente trabalho neste sitio ao fim de semana. Estou numa fase complicada. Estou cansada. Quero os primos!!!

Marisa

Je try, mais je ne can pas

Je try parler french, mais je ne can pas. Je try, mais in the final je parle ever english. 

Não há nada a fazer. Eu bem que tento falar em francês mas depois de um Bon jour, ça va?! acabo por sempre por acabar o resto da frase em inglês. É mais forte do que eu, completamente irracional. Como me sinto mais à vontade a falar inglês, vou sempre para o inglês mesmo que esteja a falar com franceses e comece a conversa em francês.




Marisa

5 de agosto de 2016

Dream about

Se se se... gabo quem não perde muito tempo com ses. Invejo um pouco, até. Gostaria de não me preocupar tanto... Agradeço a quem não perde muito tempo com ses e tem paciência (às vezes xD) para me aturar nos meus ses todos.

Obrigada ****



Marisa

7 de 10

Estou a meio do sétimo dia de trabalho em 10 seguidos e podia dizer que já nem me sinto, mas infelizmente sinto. Sinto muito. Sinto dores, sinto nervos, sinto pena de ter trabalhado o fim de semana passado, sinto que esta semana nunca mais acaba, sinto vontade de fugir.

Tenho que pensar que no final irá recompensar, que estou a fazer isto para alcançar um objectivo que já não está assim tão longe. Que se, por alguma razão, não conseguir alcançar esse objectivo irei desfrutar de algo bom na mesma. Mas irá correr tudo bem. Tenho que pensar que estes dias estão quase a acabar. Só falta metade do de hoje, o de amanhã, meio dia de Domingo e a Segunda. Tenho que pensar que esta tarde vou receber uma mensagem boa. Tem que ser boa. Vai ser boa. Ai eu preciso mesmo de saber a minha nota da segunda fase do exame! Que nervos, este estado de ignorância. Quase prima não te esqueças, não te esqueças e manda-me sms assim que vires a nota. Pleaeese!

Por outro lado ontem até foi um dia bom. O dia de anos de uma das pessoas mais importantes da minha vida. E estar com ele, em particular, e na festa dele, em geral, soube muito bem, deu para animar a semana. Afinal aquele tonto será sempre o priminho querido+refúgio+bobo da corte+fonte de energia+tudo e mais alguma coisa de bom e de mau, mas sempre de positivo.


Marisa