2 de julho de 2016

Madrinha babada

Foi por estas alturas há sete anos atrás que soube que ia ter uma irmã, ou um irmão, enfim, que ia nascer um bebé. Lembro-me perfeitamente de como a notícia me foi dada e toda a história por trás disto, que ainda hoje é contada como piada. Quando a minha mãe me deu a notícia fiquei tão feliz que não cabia em mim e ofereci-me imediatamente para madrinha. Assim foi. Só tive que esperar um boadinho...

A Princesa foi batizada já com dois anos e meio. Um opção fantástica dos meus pais, porque, assim, ela lembra-se desse dia e ajudou a escolher tudo, desde vestido, sapatos, vela... e ainda teve direito a escolher o padrinho. Já que a madrinha se ofereceu quando ela ainda estava no quentinho, bem escondida, na barriga da mãe, ela pôde escolher o seu padrinho, o seu adorado primo-padrinho. E não podia ter escolhido um melhor.

Ontem foi um dia especial. Ontem fez 4 anos que eu e o M somos padrinhos, oficialmente, da Princesa. Afilhada M, madrinha M, padrinho M... fazemos uma boa trilogia. E para além disso, ontem foi o dia em que nós vimos a nossa afilhada receber a sua primeira pasta e fitas de finalista. A nossa Princesa terminou ontem o infantário e teve direito a uma festa de finalistas com cartola, pasta, diploma, fitas... tudo a que teve direito. E os padrinhos babados não podiam deixar de estar presentes.

Parece que ontem estava a chegar a casa e tinha a minha avó à porta, à minha espera, para me dar a boa-nova que a "nossa menina" já tinha nascido, para eu almoçar rápido que o meu pai estava a chegar para nos levar à maternidade... e já passaram seis anos e meio, e ela já vai para a o 1º ano.

Ontem foi mesmo um dia especial. Emotivo, até. A Princesa é a única menina entre 6 rapazes do ano dela e teve direito a uma pequena e singela homenagem por ter conseguido "pô-los em ordem", ajudá-los, ajudar a educadora, ajudar os (e as) colegas mais novos, por ser tão dedicada e tão bem comportada. No meio de uns 25 miúdos, ver a minha irmão em cima de uma cadeira a receber fotografia de grupo dos colegas, enquanto a educadora, com uma lágrima no canto do olho, dizia palavras tão bonitas e tão sentidas sobre ela, e todos os pais e familiares dos miúdos aplaudiam e diziam "oh's" foi deveras emocionante.

Ontem foi um dia especial e eu sou uma madrinha/irmã babada e orgulhosa da minha Princesa.

Marisa

1 comentário: