30 de julho de 2016

Abraço

As melhores coisas do mundo não são mesmo coisas, e são mesmo aquelas que não se esperam. Isto podem parecer apenas meros clichés, mas a verdade é o melhor que aconteceu hoje foi mesmo algo do género. A melhor coisa do meu dia, da minha semana, do meu mês (acaba amanhã por isso já posso dizer isto) não foi uma coisa, foi uma pessoa, que apareceu sem eu menos esperar.

O que é que podia pedir mais, no final de um longo dia de trabalho, que a minha melhor amiga, a minha cabra, a minha Mp do coração me aparecer à frente sem eu sequer saber que ela já tinha chegada a terras lusitanas?! Nada, nada, nada! Devo ter ganho novas mil cores, um sorriso gigante e crescido meio metro quando a vi aproximar-se. Que se dane o profissionalismo, abracei-a assim que chegou ao pé de mim e caguei para o resto. Era a minha última hora, do meu penúltimo dia ali e era a minha amiga com quem não estava desde o início do ano e que vive noutro país... Foi tão bom, encheu-me de alegria, o cansaço do dia está cá mas é muito mais suportável depois deste reencontro inesperado e não planeado.



Marisa

4 comentários:

  1. São mesmo as melhores coisas da vida!
    Aproveita muito a tua amiga. Infelizmente também sei o que é ter amigas a viver longe e cada vez que posso aproveito cada bocadinho para matar saudades!

    ResponderEliminar
  2. Foi precioso. Mas nunca mais voltei a vê-la... Somos sempre a mesma desgraça

    ResponderEliminar
  3. Foi precioso. Mas nunca mais voltei a vê-la... Somos sempre a mesma desgraça

    ResponderEliminar