29 de junho de 2016

O tempo voa

O tempo voa. As memórias já não param tanto naquele assunto. Já lá vão cinco anos e as coisas acabam por se apaziguar. Mas nunca se esquecem. E nestes dias a lembrança volta em força, fica a pairar aquela frustração e angustia, aquela dor e a saudade. Não me era nada, nunca falei com ele sequer, mas era alguém especial, alguém que marcou a minha vida, alguém que ainda continuo a citar e que me faz olhar céu ou simplesmente fechar os olhos e lembrar-me de si enquanto repito, quase como mantra, não compliques o que é fácil ou eu acredito e isso ninguém me pode tirar.

Sobre este assunto, ouvi uma vez, Não faz sentido chorar alguém com quem rimos. Eu chorei muito e nestes dias, quando relembro o que se passou à cinco anos atrás, há sempre aquela dorzinha no peito que fica ali a moer. Então sorrio e revejo-o e oiço-o. Porque ele nunca será esquecido.


Sem comentários:

Enviar um comentário