14 de junho de 2016

Blog break

A minha cama está toda desarruma, aliás o meu quarto está todo desarrumado, parece que passou um furacão à minha volta, preciso de organizar roupas e de limpar coisas. O meu telemóvel tem o vidro do ecrã todo partido há quase três semanas. A minha cabeça está cheia de recursos estilísticos, noções de versificação, simbologias disto e daquilo, mais Passarolas a voar e Gomes Freires a arder, das "armas, e aos barões assinalados" e do "mito é nada que é tudo", de orações subordinadas e funções sintáticas, de como é que eu escrevo com a merda do acordo ortográfico?!, de falsas antimetafisicas e dores de pensar. Da nostalgia da infância onde o sonho era passar uma tarde com os primos e não passar com boa nota num exame para entrar na faculdade num ano próximo, não neste. 

Faltam horas. Poucas. Menos de vinte e quatro. Não as quero contar. Não sei se consigo não contá-las dada a minha queda para a tragédia, qual Madalena arrependida no meio de um Frei Luis de Sousa. Vou contar. Dezanove! Não chega a isso. Daqui a dezanove horas já estou sentada numa sala da escola que não é minha prestes a começar o exame. Diz que "o sonho comanda a vida", então que este meu sonho comande a minha confiança e a minha capacidade para fazer um exame digno da minha média, com ou sem a inspiração das "ninfas no Tejo", ou da bica de são João que está mais perto de mim. Diz que por entre o "nevoeiro" surgirá D.Sebastião para nos salvar e aí será "a hora". "É a hora!". E sem nada a ver com a matéria "se é pra acontecer, que seja agora", que quem canta seus males espanta, assim como a música do Scarlati espantou a doença da Blimunda, e assim ela pode recolher todas as vontades que precisava. A minha ninguém recolhe, que eu trago-a sempre guardado ao peito para não desistir do meu sonho. O que vale é que "Felizmente há luar", e na ausência de um dia de nevoeiro quero uma iluminação que me dê força com "um vai correr tudo bem" ou um exagerado "vais ter um 20", mas que me põem um sorriso no rosto. Porque não vou ficar à espera "que o D. Sebastião nos traga a redenção/O povo não desespera, a gente sabe que ainda há solução
Porque o Fizz Limão? Ai o Fizz Limão"... bem eu prefiro um gelado de limão feito pelos primos na nut, "Num dia de sol" o gelado de limão da nut "há-de voltar!"

E depois de passar o exame, depois de recarregar energias. Personal Coach, também vou precisar de ti, para isso. Aí vou organizar o meu quarto, mandar arranjar o meu telemóvel, terminar os dois livros que me espera pacificamente abandonados na mesinha de cabeceira. Organizar o que me rodeia e, mais importante ainda, organizar as minhas ideias.


Don't wish me luck... Just Very shit to me, tomorrow.


Marisa
 

Sem comentários:

Enviar um comentário