10 de abril de 2016

Conta-te poesia

Em mil histórias me perco
Na tua história me encontro
Vem escrever comigo um conto
Daqueles em que se canta e dança
E se grita e se acredita

Quero um conto sem ponto final
Cheio de reticências
Que nos levem ao infinito

Talvez um ou outro ponto de exclamação
Dar um toque sentimental
Que também fica bonito
E um pouco sentimental


Marisa

Sem comentários:

Enviar um comentário