8 de março de 2016

Um bicho estranho chamado ansiedade

Há dias em que as lágrimas não passam de uma palavra que só existe no dicionário e cujo o único objectivo da sua existência é para aparecer em personagens de filmes ou novelas. Porém, há momentos em que as lágrimas são uma realidade bem presente a querer saltar pelo cantos dos olhos e formar rios salgados de dores pelo rosto a baixo...

As lágrimas ainda não secaram. Não sei se algum dia elas irão secar. Mas eu vou manter-me firme e fazer com que elas premaneçam exiladas sem ver a luz do dia. Eu vou ser forte e sorrir e vou ultrapassar estes momentos em que a ansiedade faz questão de lembrar que existe e não se esqueceu de mim... porque eu também não me esqueci dela e, por isso mesmo, não vou deixar que ela se instale confortavelmente no meu peito, vou apressá-la a sair que eu tenho mais com que sorrir.

Marisa

1 comentário:

  1. espero que acalmes essa ansiedade.. eu percebo-te perfeitamente. eu também tenho ansiedade.
    r. eu tenho calma, mas ele leva as coisas tão a peito e depois parece tão inseguro e o pior é que parece não acreditar em mim quando digo que eu quero a ele.
    E depois ele ameaça em acabar tipo ultimato, e isso não gostei (mas ainda não lhe disse), e agora nem quer estar comigo quando tínhamos combinado que íamos estar hoje.

    ResponderEliminar