16 de março de 2016

Preparar o futuro

Na semana passada realizei esse grande pesadelo que é entrar numa escola secundária que não a minha. A minha, será sempre a minha por mais anos que passem. A minha escola secundária é pequena, éramos pouco menos de 350 alunos. Éramos 327 no meu último ano, não me esqueço do número porque era o número de questionários que tinha que fazer para a minha PAP. Na minha escola secundaria dava para ver quase todos os cantos de quase todos os cantos. Era uma casa. É uma casa e uma família como já disse anteriormente.

Na semana passada fui a uma escola secundária "normal", com mais que um pavilhão, todos eles grandes, com tantos alunos que nem os que lá andam sabem quem são os outros. Mas fui. Fui e passei lá 45 minutos para dar um pequeno grande passo no meu futuro, inscrever-me no exame de português.

Sorte a minha de só precisar de fazer um exame. Deixei de estudar há cinco anos e já perdi um bocado o hábito, não tenho aquela rotina de aulas e ter que estudar, não tenho nenhum acompanhamento de professores, por isso é bom só precisar de fazer o exame da disciplina em que me sinto mais à vontade. Porém, mais à vontade não significa que sei tudo. Lembro-me do Memorial e Fernando Pessoa e heterónimos, coisa pouca da Mensagem e d'Os Lusíadas, um niquinho d'Os Mais, as restantes obras quase nada, ou mesmo nada, e a gramática é algo que vou ter que rever com muito, mesmo muito afinco.

Ontem fui desembolsar os cordões à bolsa e comprar um daqueles livros muito "baratinhos" para me ajudar. Por acaso consegui comprar um que custava menos de 25€ e tinha quase 9€ para descontar naquela loja por isso não me posso queixar assim muito. Há noite folheei-o todo para me preparar mentalmente sobre tudo o que tinha de interiorizar, hoje já me pus a ler e sublinhar e começo a entusiasmar-me.

Tenho um pouco menos de três meses, parece muito, mas passa num piscar de olhos. A estratégia está delineada, ler e sublinhar, ir fazendo apontamentos mínimos no livro e depois fazer apontamentos a sério em folhas, e reler, e reler, e reler tudo.

E que começa a missão "tirar uma nota digna de Primo M". Porque não me posso contentar com uma "nota de Marisa", ou seja um 15/16, quero e precisar de tirar uma "nota de Primo M", um 18/19. E vou conseguir!

Marisa

4 comentários:

  1. Há noite desfolhaste-o?
    Há é do verbo haver e esse à que te falta aí, é a contração da proposição "a", com o artigo "a" (para não ficar "a a noite").
    Desfolhar um livro é arrancar-lhe as folhas. Com certeza não foste comprar um livro tão caro para lhe arrancar as folhas. O que devias fazer era "folheá-lo" com muito cuidado e atenção. ahahahahah
    Estás chumbada! xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ia jurar que tinha corrigido isso. Eu bem digo que vou ter uma missão complicada

      Eliminar
  2. Temos que ser duros, atrás de nós está uma multidão para nos passar a perna!
    http://araparigadoautocarro.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  3. Vais ver que vais conseguir, é com esforço...Algo, diz. :) Cuidado com o novo acordo, que já descontam por isso.
    R: é, parece que só precisam da gente para despejarem tudo e não veem como é muito enfastiante para a outra pessoa...

    ResponderEliminar