8 de novembro de 2015

Os jogos que me fazem viajar no tempo

Domingo 11 de Novembro de 2007, pelas 18 horas, no Estádio da Luz, Benfica vs Boavista. Foi há 8 anos menos 3 dias e lembro-me desse dia como se tivesse sido ontem. Foi dos jogos que mais me marcaram e sempre que se fala em ver jogos na Catedral ou em jogos Benfica vs Boavista, o jogo de 11 de Novembro de 2007 vem-me sempre à memória.

Tinha 14 anos e já tinha estado uma vez no Estádio do Luz, mas apenas para almoçar e visitar a mega store onde comprei um ursinho porta-chaves, o meu Glorioso, e um porta-canetas com uma boneca, a minha vitória. Naquele glorioso dia fui pela primeira vez um jogo do meu Benfica à Catedral com o meu pai. Eu não tinha cachecol por isso o meu pai deu-me o dele, que era praticamente novo. Diz "SLB Sempre Glorioso" e é o cachecol mais lindo do mundo. De cachecol ao pescoço e de mão dada ao pai, que a menina da terrinha não estava habituada a tanta gente junta e estava até um bocado assustada com aquilo tudo, lá fiz a travessia do Colombo para a Luz. Comprámos os bilhetes lá, ficámos na bancada Coca-cola por trás da baliza porque era mais barato, mas não fomos muito para cima (o pai não foi assim tão forreta :P) e deu para ver o jogo decentemente. Encontrámos uns senhores da nossa zona fora do estádio. Já lá dentro tinha o meu pai de um lado e do outro a cadeira estava vazia. Fiquei contente por isso porque, como já tinha dito, era nova naquelas andanças e a multidão assustava. Vi a águia a voar pela primeira vez. O momento do hino e da águia serão sempre mágicos.  O Benfica marcou um golo na primeira parte e foi na baliza à frente da bancada onde estava. Na segunda parte marcámos mais 5 e o Boavista 1. O estádio estava bem composto. Gritei muito e dei um soco ao meu pai a festejar um dos golos.  Vi o meu Glorioso ganhar 6-1 na primeira vez que fui à Catedral! Não podia ter tido uma melhor estreia.

Era o Benfica do Luisão, do Leo, do Moreira, do Quim, do Maxi, do Binya, do Di Maria, do David Luis, do Cardoso, do Mantorras, do Coentrão, do Nelson, do Nuno Gomes, do Petit (que hoje estava "do outro lado") e do Maesto Rui Costa. Ainda hoje, trago estes todos no meu coração. O Luisão, o meu eterno Capitão. O Leo, achava-o um grande defesa.  O Moreiro e o Quim, eram os meus guarda-redes de eleição, qual Peter Che, indignava-me que eles jogassem pouco na selecção. O Maxi foi enorme durante todos os anos que esteve no Benfica, não escondo a mágoa e o gosto a traição quando foi agora para o Porto, mas também sou incapaz de lhe tirar o mérito que ele teve enquanto jogou de águia ao peito. Di Maria, David Luis, Coentrão, Nelson... todos eles excelentes. Do Binya lembro-me particularmente daqueles lançamentos de linha lateral em que ele punha a bola quase na pequena área. Costumava dizer que era um canto marcado com as mãos. O Nuno Gomes é daqueles nomes que faz parte da história do clube, havia quem não gostasse muito dele, eu nunca percebi o porquê, na verdade ele não era um excelente marcador mas foi ele que deu origem a muitos golos e muitas vitórias. O Marorras era o gajo que entrava no final do jogo, estava 15 ou 20 minutos em campo e dava tudo, tinha uma garra enorme e resolveu e ajudou a resolver uns quantos jogos. O Petit era outro jogador muito bom, "Petit 6", tenho uma bola autografada por ele, que foi o meu pai que ma ofereceu. Confesso que fico contente quando o Boavista ganha só pelo Petit. Por fim o Rui Costa, não tenho muito a dizer sobre ele, dos melhores que passou pelo Benfica e uma bênção ainda estar no clube...  o Maestro, não precisa de mais palavras.

Hoje ganhámos 2-0. Dessa altura mantém-se apenas o Luisão. Ai Maxi, Maxi que também podias estar cá, e tão bem.... O Petit marcou presença no banco da equipa adversária, mas seja como for, será sempre bem-vindo. Adorava ter ido ver este jogo à Luz. Não pude porque tive que trabalhar. Fui vendo o jogo aos bocadinhos no trabalho, mas ainda consegui ver os dois golos.


Marisa Maria

Sem comentários:

Enviar um comentário