15 de agosto de 2015

"Somos Tara Perdida"

Foi por volta dos oito anos que comecei a ouvir Tara Perdida, ao princípio meio obrigada, mas não demorou muito tempo a passar a gostar daquela sonoridade diferente do que estava habituada. Rapidamente decorei a Feia, e nunca mais a esqueci, foi a minha primeira música preferida deles. Da épica Batata Frita nem se fala, canto isso do nada desde essa altura. Confesso que não sou a maior fã da banda. Gosto do género, é uma daquelas que oiço "desde sempre" assim como os Xutos ou os Peste&Sida. Conheço melhor as músicas mais antigas do que as recentes e continuo a saber de cor apenas a Feia e a Batata Frita, as outras só consigo cantar acompanhada pela música.

Tara Perdida era uma das bandas que estava na minha lista de "concertos de sonho". Sim tenho uma lista de concertos de sonho... um dia destes posto-a. Há um ano e pouco, quando o Ribas morreu depois do choque, pensei que teria de tomar o concerto dos Tara por inalcançável, depois veio o Tiago Afonso e a esperança voltou, apesar do Ribas ser o Ribas.

Há uns dois meses soube que os Tara iriam actuar bem perto de mim e fiquei logo cheia de vontade e motivação para ir. O concerto foi ontem (ou hoje porque foi há uma da manhã*-*) e eu estive lá. Não fui com os meus primos, os meus impulsionadores de Tara Perdida e boa música em geral, fui com um amigo à altura. Foi um excelente concerto! Que se lixem os banhos de cerveja, os moches, o pó na boca, a pisadela... O concerto foi mais do que bom... foi... sem palavras... apenas WOW! Pena ter sido pouco tempo, mas valeu o bilhete, os stresses antes, o cansaço, a hora tardia, valeu tudo porque eles deram tudo.



Marisa Marisa

Sem comentários:

Enviar um comentário